Editor do paraíso
(Ignorado)

Dizer nome não é preciso
Universal é o juízo
Do editor do paraíso
E o nosso grande siso
O que eu quero é muito sincero
O que amo e venero
Posso dizer meu grande siso
A muito que te espero
O que eu quero é universidade
Pra todas raças e idades
Paz amor e fraternidade
Lendo e relendo as verdades

Se dizer o nome não é preciso
Porque sabemos que ele é o juízo
Vamos ouvir o editor do paraíso
E aceitá-lo como nosso grande siso
E aceitá-lo como nosso grande siso
O que eu quero é universidade
Pra todas raças e idades
Paz amor e fraternidade

Toda fantasia
Usam de vaidade
E praticam com maldade
Com sentimentos de crueldade
Usando termos escusos e falsidade
Para alcançá-lo, o topo
Magnetizam a vontade
Esquecendo a penalidade
Lapidando sem piedade

Se dizer o nome não é preciso
Porque sabemos que ele é o juízo
Vamos ouvir o editor do paraíso
E aceitá-lo como nosso grande siso
E aceitá-lo como nosso grande siso
O que eu quero é universidade
Pra todas raças e idades
Paz amor e fraternidade
Lendo e relendo as verdades