Nosso pai
(Barbosinha)

Conheci aquele homem
Que se chamava Manoel
Alto e forte cor de bronze
De voz doce como o mel

A primeira vez que o vi
Me fez sentar ao seu lado
Muito surpreso fiquei
Achei que havia sonhado

Ele falava bonito
Coisas que nunca ouvi
Com a força do infinito
O tempo passou e eu não senti

Era irmão até no nome
Compenetrado no olhar
Era Manoel para os amigos
Pai de todos no amor
Com tanta sabedoria
Tudo tinha seu valor
Mesmo que fosse o contrário
Estava sempre a favor

Conheci aquele homem
Que se chamava Manoel
Alto e forte cor de bronze
De voz doce como o mel

A primeira vez que o vi
Me fez sentar ao seu lado
Muito surpreso fiquei
Achei que havia sonhado

Ele falava bonito
Coisas que nunca ouvi
Com a força do infinito
O tempo passou e eu não senti

Vi andando um ser supremo
Que tudo nos ensinou
Iluminou nossas vidas
Nos deu paz luz e amor

Tão diferente em tudo
No ver ouvir e calar
Muitas vezes estava aqui
Mas aparecia lá