Habitantes
(Filhos do Racional Superior)

Autor: Luiz Racional e Ricardo da Paz

RACIONAL me avisou mas eu não quis escutar
Nunca foram meus planos fazer a terra e o mar
Quando vi o que fiz não adiantava chorar
Pelo progresso de morte é que eu iria voltar

Minhas virtudes subiam e eu lentamente descia
E o meu brilho eterno fez o Sol e a Lua
Eu perdia as virtudes, minha vida sumia
Eu perdia meu brilho, eu pedia ajuda

Eu estava na boa puro limpo e perfeito
Abusei da liberdade e fiquei desse jeito
RACIONAL SUPERIOR previu tragédia
Tragédia que se transformou no mundo de matéria

Não tinha mais como eu agora olhar para cima
Já estava quase extinto na goma e na resina
Eu era um ser de energia quase materializado
Tudo por progredir num lugar inacabado

A liberdade é total entre os puros e perfeitos
Eu fui advertido mas insisti no passeio
Eu achava que estava indo tudo muito bem
Como você hoje em dia acha que vai também

Você acha natural ser sofredor e mortal
Não aceita o certo acha o errado normal
Se diz conformado ter que nascer e morrer
Isso é pura vaidade ninguém aceita sofrer

Olha pro espaço sem saber quem é que tinha feito
Impera no universo a lei de causa e efeito
A energia Racional degenerou pra outra forma
Nada se perde nem se cria, tudo se transforma

Eu nunca quis perder / minhas virtudes perfeitas
A planície que eu entrei / fez a Lua e as estrelas
Me transformei no início / do mar e da terra
A vida verdadeira é de energia eterna

Hoje eu quero andar sobre as ondas do mar
Conversar com os rios, fontes e cachoeiras
Levitar na Amazônia e toda a sua grandeza
Salve a minha Mãe salve Mãe Natureza

A Natureza é Sol, Lua, estrela e planetas
Animal, vegetal, água, terra e cometas
Ela se transformou deixou de ser o que era
Mas já está voltando a ser energia eterna

Procurei pelo chão meu passado perdido
Nas cavernas escuras e frias da religião
Eu queria saber e entender de onde veio
A origem da causa desta deformação

Descobri que fui feito quando acabou a pureza
E no caminho meu corpo de luz fez o Sol
As virtudes da planície fizeram estrelas
Cujo brilho distante e frio hoje é o meu farol

Pra conhecer a verdade tive que ser liberado
Combater a injustiça defendendo os mais fracos
Hoje tenho a chave para sair deste encanto
Leio o Livro UNIVERSO EM DESENCANTO

Este Livro veio la do Mundo Racional
Não é ciência do alfabeto artificial
É a palma da mão alfabeto de astrologia
Que mostra o caminho pra ser energia

Eu queria saber responder as perguntas
Desvendar os mistérios da terra e do céu
Eu só fui saber quem de fato eu realmente era
Quando soube quem era o Senhor Manoel

Eu nunca quis perder / minhas virtudes perfeitas
A planície que eu entrei / fez a Lua e as estrelas
Me transformei no início / do mar e da terra

​A vida verdadeira é de energia eterna.